Publicado por Boselli / cronicas/poesias/reflexões em Quarta-feira, 24 de abril de 2019
Textos


PEGANDO AS SACOLINHAS
Tá chegando a hora de saber quem vai e quem fica.Separar o joio do trigo...se bem que o joio tá tão misturado que fica difícil peneirar.Sempre vão alguns inocentes junto. Depois do dia das escolhas,alguns deles já podem ir arrumando a mochila.Claro que terão que passar antes na sala das sacolinhas. Que nem criança na saida da escola,os elementos devem procurar a respectiva sacolinha que está lá,pendurada em algum lugar,cheia de coisas boas ou restos de lanche,sobras e porcarias. Quem for embora que leve sua sacola,seus pertences e sua história junto.Nem todos pegarão seu saquinho de lembranças. Alguns elementos vão ignorar a sala das sacolas e não vão nem se despedir. As sacolas vão ficar lá,penduradas,esquecidas e cheias de informações mal utilizadas,intenções nebulosas e pertences sem origem definida. Tenho a impressão que, na pressa de sair,alguns deles vão trocar de sacolinhas (intencionalmente ou não ) outros vão “trocar as sacolinhas ‘“ entre si,e outros jurarão que não tem sacola nenhuma pra pegar,que é tudo calúnia e difamação. Por isso,digo que muitas sacolinhas permanecerão lá ; esquecidas,penduradas...até que algum curioso enxerido abra para ver o que tem dentro ou algum faxineiro do recinto passe para pegar e levar ao lixo. Perigo é essas sacolinhas esquecidas irem para alguma empresa de material reciclável. Sabe como é...Em lugares assim,as coisas mudam de forma mas a essência permanece a mesma.



Maria da Penha Boselli* / Maat* 2018
 
Maria da Penha Boselli
Enviado por Maria da Penha Boselli em 18/10/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários