Publicado por Boselli / cronicas/poesias/reflexões em Quarta-feira, 24 de abril de 2019
Textos

ABESTALHADA
Tentei de todas as maneiras me encaixar no aparelho para fazer exercícios.
Coloquei as mãos mas sobraram os pés. Levantei as pernas e posei os calcanhares sobre a parte preta. Fiquei toda torta e a bunda começou a escorregar.
Admito que sou uma toupeira em assuntos de academia e aparelhos de ginástica.
Com mais de vinte anos de yoga,nunca precisei de instrumento nenhum para colocar a testa nos joelhos,ou as orelhas na sola do pé.
Ainda atordoada nas minhas tentativas,um senhor já idoso,interrompeu sua caminhada e aproximou-se com intenção de me ajudar.
- Filha,coloca as mãos aqui,os pés alí,e faça impulso com as pernas para a frente. Mantenha a coluna vertebral bem reta.
Agradecida fiz que sim com a cabeça e obedeci incontinente.
Há ! Finalmente eu e a máquina em sintonia.Os movimentos começaram a fluir.
De repente veio a dúvida e antes que o sinhorzinho de cabeça branca,desaparecesse na sua caminhada,berrei :
- Senhor! Qual é a finalidade desse aparelho ?
- Deixar o bumbum e as coxinhas duras.O que não é seu caso,pelo que pude observar ontem enquanto você caminhava.
Abestalhada com a sinceridade da resposta,minha ficha caiu que nem caroço de abacate. Era ele o velhinho que estivera caminhando atras de mim,no dia anterior,me dando a sensação de que estava sendo observada o tempo todo.
Tá bão pro cê ?

                                                                                              *PenhaBoselli* / MAAT 2015
Maria da Penha Boselli
Enviado por Maria da Penha Boselli em 11/10/2015


Comentários