Meu Diário
26/03/2016 20h59
NA ESCURIDÃO

Sampa   ( 25 / 03 / 2016 )
Sem energia e no escuro.Parece que o temporal de hoje a tarde,foi com muito vento e abalou a fiação elétrica da rua.Dois transformadores explodiram num estrondo azulado que faiscou pelo ar.Agora to aqui…com um monte de vela acesa e torcendo para que o notebook não desmaie antes que eu termine o texto.
Vela é o que não falta na minha casa. Tem de todas as cores,tamanhos e aromas.Para todos os gostos e para todas as Hierarquias Angelicais que possam existir no céu.
Só uma coisa me angustia : meu banho já está vencido, e se eu não tomar um banhozinho quentinho e reconfortante,dificlmente vou pegar no sono.Não vai ser um sono gostoso,relaxante.Vai ser um sono salpicado de pequenos pesadelos e muitas acordadas desconfortáveis.

Estou no aguardo.O zelador da guarita avisou,que até meia noite a energia deve voltar.Enquanto isso estou aqui,buscando uma maneira de descobrir o lado bom da escuridão. Perdi minhas novelas mas ganhei um texto. Perdi o Jornal,mas ganhei inspiração.Acho que a troca foi com
pensadora.Estou satisfeita.
Talvez eu deva ficar mais vezes no escuro,só com luz de velas. Acho que é possível vivenciar essa experiência com bons olhos.Por exemplo ? Ressuscitei ( na prática ) o tradicional banho de canequinha,tão comum no meu tempo de criança. Na ve
rdade,não preciso ficar esperando um transformador explodir para colocar esse exercício em prática.Vou meditar sobre isso.


                                                Maat / 2016


Publicado por Maria da Penha Boselli em 26/03/2016 às 20h59
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
21/03/2016 19h56
FINALMENTE EM PAZ

Depois de dez anos com síndrome de panico e sentindo medo de ficar sózinha na minha própria casa,finalmente estou em paz.
Durante todos esses anos,quando rezava a Nossa Senhora Desatadora dos Nós,eu solicitava ajuda celestial para eliminar emoções  e desequilíbrios que não nasceram comigo,mas foram adquiridos por circunstâncias da vida.Eu não nasci com síndrome do pânico e queria voltar a ser como sempre fui (sem medo e sem depender de comprimidos o tempo todo).

O meu nivel de ansiedade era tal que fui me afastando cada vez mais da vida comum ( noitadas,barzinhos,baladas etc...) e deixando de lado a busca por alguém,algum caso,rolo ou namorado. Mal sabia eu que esse era o caminho da minha cura.Depois disso me voltei para cursos e mais cursos de auto conhecimento e espiritualidade.
Agora dez anos depois,descobri que não sou obrigada a viver como todo mundo vive,gostar das mesmas coisas e ter as mesmas crenças e opiniões.
Quando aboli da minha vida, pessoas,espaços e situações que me deixavam estressada e ansiosa,comecei a me curar. Quando parei de fazer coisas só para agradar os outros,abri caminho para a cura e ( lentamente,vagarosamente ) fui esquecendo o passado angustiante e renascendo das cinzas. Mas foi um renascer diferente.Não sou mais a mesma pessoa,embora ocupe o mesmo corpo. Estou em paz.
Aprendi a aceitar e respeitar minhas limitações.Mudei escolhas e comportamentos. Me conectei com as forças do céu e com os reinos da terra.
Me compadeci de mim mesma. Estou curada e em paz !

                                                                                            

                                                                             Maat / 2016

 


Publicado por Maria da Penha Boselli em 21/03/2016 às 19h56
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
19/03/2016 23h22
PEPITAS DE CHOCOLATE

  Entrei na loja de chocolate com minha filha em busca de alguma coisa doce que estimulasse a serotonina. O almoço oriental temperado a shoyo,wasabi e gengibre,estava delicioso,mas agora  a boca pedia algo doce.
An
damos pela loja toda,perguntamos preços,avaliamos,medimos e ficamos perplexas. O preço das balas,sorvetes,ovos,barrinhas,bolachas estavam tão caros que me senti empobrecida.
Quando meus filhos eram crianças,eu era freque
ntadora assidua da Kopenhaguen. Hoje,quebrei a cara. Que absurdo...as trufas estavam pela hora da morte.O sorvete de lingua de gato ( palito ) estava cr$9,60.Misericordia...
Minha filha desanimou.Queria levar trufas para o pessoal do trabalho no dia do aniversário dela,mas ficou na dúvida.
Sugeri que levasse uma caixa de bombons surtid
os da Nestlé mesmo.Era só passar no mercado.Mas ela deu de ombros e fez desdém.
Depois
de muito pensar,decidiu pelas trufas.Encheu um saquinho com 22 trufas que sairam por nada menos  que setenta e nove reias !
Na hora de pagar as trufas,tive a sensação de estar levando pepitas de ouro para casa.
E o sorvete ? Quase dez reais? Soubesse que ia gastar tanto,tinha engolido o palito também.

                                                                                               Maat / 2016




 


Publicado por Maria da Penha Boselli em 19/03/2016 às 23h22
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
18/03/2016 22h30
PIANO ESQUECIDO

Nunca mais toquei. Tá lá na sala,fechado cheio de retratos na parte de cima e muitas contas para pagar dentro de cestinhas de vime, na parte baixa onde fica o  teclado.
Dificilmente consigo ficar sózinha em casa.Não gosto de tocar piano com gente mexendo em computador ou com TV ligada.Filhos...faxineira...

Os anos passaram e o piano ficou esquecido.Virou enfeite na sala.Pouquíssimas vezes consegui sentar e tocar alguma coisa.
Alem da ausencia de solidão e privacidade,perdi a prática,a agilidade.Muitas partituras agora são difíceis e complicadas de tocar.
Agora nessa semana de Páscoa,os filhos vão viajar. Tenho tres dias sózinha em casa para relaxar,rezar em paz,ficar olhando para o céu enquanto o tempo passa,meditar alguma leitura espiritual,comer sem pressa,ver minha novelinha sem pensar na janta e...se Deus quiser...retomar um pouco do meu piano que tem estado esquecido,e no entanto, já foi a coisa mais importante da minha vida.                                          
           Maat / 2016             
contato@penhacronicasboselli.com

                                                                                               



 


Publicado por Maria da Penha Boselli em 18/03/2016 às 22h30
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
18/03/2016 17h15
ÁRVORES VERMELHAS

Elas são altas,tem troncos grossos e dão umas flores vermelhas alaranjadas que cobrem toda a copa.Verdade que quando as flores caem no chão em dia de chuva,são também muito perigosas,provocando escorregões aos incautos que pisam nelas.Mas olhando de longe,aqui da minha janela,elas realmente são muito bonitas.
Não sei o nome dessa árvore mas deixam a rua bastante alegre.
Da minha cama,pela janela, posso ve-las.Uma Benção !
Todas as cores na natureza são bem vindas.São benéficas e trazem paz.
A humanidade é que distorce tudo,catalogando,rotulando,e ideologizando as cores.Uma pena...poderíamos apreciá-las no seu estado puro e natural,olhando-as com olhos de criança.                                       
Maat /2016

contato@penhacronicasboselli.com

bosellipenha@gmail.com

                                                                               

 

 


Publicado por Maria da Penha Boselli em 18/03/2016 às 17h15
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Página 10 de 24 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]