EM ALGUM LUGAR DO PASSADO Houve um tempo em que eu acreditei que precisava de lantejoulas para brilhar. Mas o tempo (...

Publicado por Maria Da Penha Boselli em Quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019
Publicado por Boselli / cronicas/poesias/reflexões em Quarta-feira, 24 de abril de 2019
Meu Diário
28/06/2016 10h46
AUSENTE DOS SANTOS

  Creio que pela primeira vez na vida,passei o mes dos Santos absolutamente ZEN.
Zen bandeirinhas,zen traque,zen bombas e fósforos de cor,zen quermesse e frango assado e zen fogueira ( em todos os sentidos ).
Não comi nem um milho assado,pipoca ou pé de moleque.Pra não dizer que num comi nada da época,comi um bolo de fubá ressecado que tava lá em casa.
Rezei para Santo Antonio,São Pedro e São João.Mas não participei da algazarra comum das festas de cada um deles.Porém a noite,fiz questão de olhar para o céu e me certificar que as estrelas juninas estavam sobre mim.Hááá...elas sim me transportaram para uma infância feliz e alegre das noites frias do mes de junho.Quanta lembrança...quanta recordação...
Amé, Santo Antonio...Amém São Pedro...Amém São João!

                                       
   Maat / Taq / 2016
 


Publicado por Maria da Penha Boselli em 28/06/2016 às 10h46
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
17/06/2016 23h00
O SINO

O SINO

Escuto o sino da Matriz São Sebastião desde que nasci.Cresci escutando o sino badalar horas do dia, da noite e da madrugada.O sino badalou por toda minha vida aqui em Taquaritinga,anunciando acontecimentos auspiciosos ou não : festas,casamentos,enterros,missas,procissões etc...
Na infancia,em véspera de Natal,soava como canção de ninar. Ouví-lo do meu quarto a meia noite,durante a missa do galo,fazia-me lembrar que os presentes estariam no dia seguinte de manhã, fresquinhos embaixo da arvore de natal.
Era gostoso acordar com o sino,chamando para a missa da molecada as oito horas da manhã no domingo.A missa era só alegria e cantoria no encontro com amigos do catecismo.
Hoje sinto-me relaxada quando deito para dormir ao som do sino da Matriz.Também é muito bom escutá-lo de madrugada quando estou acordada no quarto escuro e a cidade silenciosa.
Quando o sino da Matriz badala,abre-se um portal de conexão com o passado,presente e futuro.O som penetra em dimensões além do aqui e agora,anunciando que continuará badalando mesmo quando eu me for,assim como já se foram os antepassados dessa cidade.
Agora mesmo acabou de tocar.Já é tarde.O sino está a me avisar que é hora de dormir.
Boa Noite.
           
                                            Taquaritinga / Maat 2016


Publicado por Maria da Penha Boselli em 17/06/2016 às 23h00
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
15/06/2016 23h15
JUNHO GELADO

TAQUARITINGA  ( 16/06/2016 )

Depois de muitas noites frias,dormindo com uma montanha de cobertas por cima do corpo,hoje finalmente a temperatura subiu e o sol reinou soberano por todo o dia. Aproveitei para lavar roupas.Secaram rapidamente no varal e voltaram limpas para a mala.

Pela primeira vez na vida,peguei frio de dez graus em Taquaritinga ( ou até menos ). Fico pensando nos carentes desprevenidos,idosos de asilos e crianças de orfanato.Misericórdia…

Ainda estamos em junho.Como será o mês de julho ? Hoje é dia 16 de junho. Dia 13 ( dia de Santo Antonio ) foi um gelo.Dia 12 então …vixi…Em pleno dia dos namorados acho que o frio congelou até os corações mais apaixonados. O que nos aguarda São João dia 24 ? Acho que vou começar a preparar minha fogueira com antecedencia.Melhor prevenir…
                                                    Maat / 2016

 


Publicado por Maria da Penha Boselli em 15/06/2016 às 23h15
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
11/06/2016 22h36
SÃO JOÃO

O xente…que frio.
Cobertor,ededron,mantas e xales pra tudo quanto é lado.Só não sente frio quem tem coração quente, alma serena,um fogão a lenha e uma cama aconchegante.
A cidade lá fora ta vazia e escura. De vez enquanto passa um carro e só.
To aqui na minha novela com cobertor até o pescoço.
Fui dar uma espadinha no jardim.A lua está clara,iluminando o céu absoluta.Ao seu lado uma pequena estrela brilha como pingente.Jóia celestial.
Volto para o quarto.Preciso escovar os dentes,mas vacilo quando lembro como a água sai gelada da torneira. Pior foi sentar no bidê hoje de manhã.Affe…gelou até a alma.Gelou as partes de baixo e as de cima também.Até doeu.
Amanhã é dia dos namorados. Desesperador para aqueles que não sabem viver sozinhos.Santo Antonio que se cuide.Vai ter muita gente virando o Santo de ponta cabeça para garantir casamento.
Na infância distante,traques,rojões,busca pés,fósforos de cor e vulcões coloridos.Fecho os olhos e escuto mentalmente,o barulho dos fogos e da molecada na rua,misturado com fumaça e cheiro de pólvora.

São João…São João…apaga a fogueira do meu coração.

                  Taquaritinga / Maat / 11-06-2016
 


Publicado por Maria da Penha Boselli em 11/06/2016 às 22h36
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
25/05/2016 22h37
SURURU DE GATO

      SURURU DE GATO

    Totti latia desarvorado e nervoso para o filhote de gato que - encolhido no canto do portão - tremia na frente dele que nem vara de bambu.
   Depois de muito tempo confinado na canaleta do jardim,o bichano resolveu sair pra fora e deu de cara com o cachorro. De corpo manchado em preto e branco e molhado que nem um pinto ( porque era dia de faxina no jardim ) o gatinho se arrepiava e arreganhava os dente e unhas pronto para atacar e se defender de qualquer um que chegasse perto. O fox Totti agarrou o gato por uma per
na e o arrastou por um metro no chão de cimento na garagem.No meio da gritaria ( minha,da minha irmã ,do cachorro e do gato) peguei o esguicho do jardim e bati violentamente no chão ameaçando Totti de uma surra. Com medo da chicotada e do meu surto emocional,Totti largou o gato e saiu correndo pra dentro da casa. 

   Pedi a minha irmã que trouxesse um cobertor velho ou um pano grosso para jogar em cima do gato,e imobilizá-lo temporariamente. No entanto ela me trouxe um pano de chão fino e pequeno que joguei indecisa sobre o bichano.Quando tentei pegá-lo,o felino virou a cabeça e me lascou uma mordida em um dos dedos da mão direita.Levei o bicho para o jardim dos fundos da casa e fechamos a porta para isolar do cachorro.

   Meu dedo sangrava ininterruptamente.Lavei bastante com água e sabão e taquei antisséptico.Demorou pra parar de sangrar porque o dentinho do gato pegou bem ao lado da unha. Agora a noite,no escuro do quintal,ouvimos miados e vimos sombras de gato rondando o telhado.Talvez seja a mãe gata que veio resgatar o filhote.Só amanhã é que vamos saber. Fato é que estou aqui com o dedo latejando e inchado.     

Da próxima vez não me intrometo.Gato,cachorro e minha irmã que se virem nos trinta. Nesse turbilhão não entro mais.

                                                 Maat / 2016

                                       


Publicado por Maria da Penha Boselli em 25/05/2016 às 22h37
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Página 6 de 26 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]